Blog

Curiosidades sobre o Sal Negro

Voltar




O Sal Negro, conhecido também como Kala Namak ou Sal Vermelho, tem origem na região central da Índia e do Paquistão. Na verdade, ele não é exatamente negro, mas de um tom bem escuro quase negro e avermelhado.

 

O Kala Namak é um sal de ervas milenar, produzido através da combinação de Sal do Himalaia e de ervas e frutos da região indiana. Além de possuir todos os minerais presentes no Sal do Himalaia, ele incorpora os efeitos terapêuticos das três frutas que compõem a Triphala – um composto tradicional Ayurveda, que age na depuração orgânica de forma suave e constante, além de diversas ervas.

 

A produção do Sal Negro

 

O primeiro passo na produção é “assar” o sal do Himalaia junto com carvão de Acácia, em fornalhas, até ele se liquefazer – o que leva em torno de 24 a 48 horas. Nesse momento, adicionam-se as três frutas da Triphala: a Amla (Emblica officinalis), a Beheda (Terminalia belerica) e a Harada (Terminalia chebula).

 

Nesse processo, ocorre uma sulfurização do sal que lhe dá a cor, o sabor e o cheiro que lhe é característico. Feito isso, deixa-se o composto resultante descansar até atingir a temperatura ambiente, quando então é levado para ser moído e vendido.

 

Utilidade e propriedades

 

Como indicação culinária, é um sal muito utilizado em receitas indianas e por nós, veganos, já que lembra bastante o sabor do ovo. Além de ser mais saudável, é um sal que dá sabor e cor a pratos salgados e até doces, acentuando o sabor doce pelo contraste.

 

Tem alta concentração de vitamina C. A Behada/ Bhibitaki– é considerada a fruta de maior ação laxativa, rica em compostos fenólicos, contendo 31% de ácido linoleico. Atua também pela eliminação de toxinas e gorduras e é antiviral e antibacteriano.

 

As aplicações deste ingrediente são diversas e você pode conferir algumas delas nas receitas originais e surpreendentes desenvolvidas pelo Camaradería Gastrobar!