Blog

Porção Otomana

Voltar




Confira as peculiaridades e curiosidades deste petisco super inovador inspirado na gastronomia do oriente médio.

 

Um pouquinho de história…

 

Consolidado nas terras ao redor da bacia do Mediterrâneo, o Império Otomano foi o centro das interações entre os mundos oriental e ocidental por séculos.

 

Nesse contexto, os pratos vegetarianos foram sempre muito bem aceitos pela população devido ao histórico de influências favoráveis dos ideais gregos, bizantinos e indianos, arraigados em muitos hábitos otomanos.

 

Os ingredientes deste prato representam muitos dos principais insumos utilizados na alimentação local, pois eram amplamente empregados séculos antes da consolidação do império e ainda são bem populares em todos os países que resultaram do colapso otomano.

 

O grão-de-bico e o gergelim são endêmicos da região atualmente conhecida como oriente médio. Já a berinjela e o pepino, possuem origem nas regiões montanhosas da Índia e foram trazidos durante o intercâmbio com as culturas orientais.

 

O grão-de-bico, principal insumo do prato, é uma leguminosa com importantes qualidades culinárias e nutritivas, sendo rico em proteínas (teor de 9%), sais minerais e vitaminas do complexo B. Atua estimulando o funcionamento dos intestinos e na prevenção de doenças cardiovasculares, assim como no tratamento de vários tipos de anemia.

 

O Falafel é um bolinho de grão-de-bico frito, com massa leve, crocante e seca, que leva ervas e especiarias orientais como: pimenta síria, páprica, cominho, coentro e alho. Esse petisco é o lanche de rua mais consumido em Israel e é considerado o precursor e primo distante do acarajé.

 

INGREDIENTES: Bolinhos de Falafel (grão de bico frito), acompanhados por vinagrete de pepino, tomatinhos confitados, pão pita e par de Homus (tahine e berinjela defumada).



Galeria de fotos